yFechar menu
Não encontrou?

Pesquisar...

“Saiam da zona de conforto, tomem riscos – você nunca se sentirá 100% pronta no momento da tomada de decisão.”

 

Coragem, proatividade, curiosidade para entender o outro. Essas são algumas das características que se sobressaem na carreira de Ana Paula Assis, a primeira presidente mulher da IBM para a América Latina. Dona de uma fala que mistura naturalidade, eloquência e humildade, ela faz questão de defender a importância da diversidade, da tolerância e da necessidade de trabalhar para deixar um legado que contribua para a sociedade. Em meio a uma agenda cheia, foi com generosidade que ela dividiu com a Dnews parte de sua trajetória e visão de mundo. Inspire-se!

Apesar de presenciarmos avanços em questões relativas a diversidade nas empresas, apenas 3% das lideranças empresariais são mulheres, segundo pesquisa de 2019 da Bain & Company e Linkedin. Ciente da importância da inclusão, boa parte das grandes organizações já alegaram que precisam mudar. Mas como transformar o discurso em ações efetivas para impulsionar a liderança feminina?

O grande desafio que vemos hoje é a intencionalidade. Segundo um levantamento do Instituto McKinsey Global, a igualdade de gêneros poderia acrescentar até US$ 12 trilhões ao PIB mundial em 2025. Há diversos outros dados que demonstram que uma organização diversa obtém melhores resultados, mas mesmo assim, segundo um estudo da IBM, 79% das empresas em todo o mundo ainda não priorizaram o equilíbrio entre gêneros em cargos de liderança e poucas organizações mostram um senso de urgência sobre esse tema.

“Tem uma frase do Winston Churchill que uso com bastante frequência. ‘Sucesso não é o final, falhar não é fatal: é a coragem para continuar que conta.’ E coragem é a característica número um que todo líder tem que ter.”

Avançar nesse tema é um trabalho com três âmbitos. Primeiro, o empresarial, incentivando a promoção de iniciativas que aceleram a mudança cultural, para que a diversidade seja uma prioridade de negócios, com um plano de iniciativas constantes, com métricas de negócios, e não algo delegado apenas a área de Recursos Humanos. Segundo, o educacional, empoderando as novas gerações para que desenvolvam as capacidades do futuro. Na IBM temos um programa chamado P-TECH, que já está em andamento no Brasil, Colômbia e Argentina, promovendo o desenvolvimento de competências profissionais vinculadas à ciência, tecnologia, engenharia e matemática e preparando os alunos para a economia digital. Terceiro, com governos, na criação de políticas que fomentem a equidade, como o ‘100K Challenge’ do BID (Bando Interamericano de Desenvolvimento) para promover inovação e capacitar mulheres empreendedoras na América Latina e no Caribe.

Você é a primeira mulher a ocupar o cargo de presidente da IBM para a América Latina. Quais foram os principais desafios enfrentados e os comportamentos essenciais ao longo dessa caminhada?

Eu tive a oportunidade de trilhar minha carreira na IBM, uma empresa que tem diversidade como parte de seu propósito e busca evoluir constantemente nessa questão. Mas sabemos que a realidade não é a mesma em todo o mercado, em eventos e reuniões que participo, ouço mulheres dizendo que têm que se esforçar muito mais que os homens para serem reconhecidas. Independente da sua jornada, é importante ser proativa em buscar seus objetivos. Criar uma rede de apoio, estar preparada para todas as interações que tenha e continuar aprendendo todos os dias – evoluir para agregar cada vez mais valor.

De estagiária a presidente. Você percorreu uma longa e vitoriosa trajetória na IBM. Para mulheres que desejam ocupar cargos de alta gestão, como você, qual a sua orientação?

Sejam protagonistas de suas próprias carreiras. Invistam em autoconhecimento, tenham clareza sobre onde querem chegar e como querem se posicionar para buscar ser a melhor versão de si mesmo. Saiam da zona de conforto, tomem riscos – você nunca se sentirá 100% pronta no momento da tomada de decisão.

Diversas pesquisas mostram que equilibrar trabalho e tempo livre é importante para estimular a produtividade e a concentração. Quando não está trabalhando, gosta de se dedicar a alguma atividade em especial?

Esquiar, praticar trekking, ler e yoga.

Em relação às suas referências, há uma obra artística (livro, filme etc) ou profissional que foram importantes para a construção de sua carreira?

Sempre tive várias referências na minha vida. Os meus pais, como exemplo de pessoas com uma ética profissional exemplar. Vários mentores – dentro e fora da empresa – que ao longo da minha trajetória me apoiaram com feedbacks e conselhos valiosos. E um filme que sempre me inspirou muito foi “E o Vento Levou”. A Scarlett O’Hara é uma personagem que representa uma mulher que nunca deixou as condições difíceis que ela viveu durante a Guerra Civil definirem o seu destino e o da sua família.

Você se inspira em alguma personalidade?

Eu gosto muito de aprender com as pessoas que estão lutando para deixar um legado e contribuir para a sociedade. Faço parte de um grupo especial da Fundação Dom Cabral, o CEOs Legacy. Nós nos definimos como os “CEOs que querem mudar o mundo”. E esta trajetória de geração de impacto tem nos dado a oportunidade de conhecer líderes absolutamente fantásticos que contribuem e trabalham diariamente para melhorar os meios em que eles vivem.

Poderia dividir com os nossos leitores um ensinamento sempre presente em sua memória?

Tem uma frase do Winston Churchill que uso com bastante frequência.

“Sucesso não é o final, falhar não é fatal: é a coragem para continuar que conta.”

E coragem é a característica número um que todo líder tem que ter.

Conteúdos

Relacionados

Executivo de Valor: o que vi, vivi e aprendi

Executivo de Valor: o que vi, vivi e aprendi

Ao longo de sete anos tenho o privilégio de...
Profissão: designer

Profissão: designer

“O design cumpre um papel efetivamente mais estratégico do...
40 min de leitura
Não encontrou?

Pesquisar...

Receba novidades

Newsletter

Para acompanhar nossas novidades, insights e outros formatos de conteúdo, cadastre-se e siga conosco. Será um prazer ter a sua companhia nessa jornada.