yFechar menu
Não encontrou?

Pesquisar...

A mudança de cultura, as pessoas e o sucesso das organizações

A principal característica do mundo atual é um ambiente dinâmico em constante mudança e que exige cada vez mais organizações com capacidade de adaptação, como condição essencial para sobrevivência. Com o passar dos anos as mudanças organizacionais são necessárias, para as empresas se manterem no mercado e sobreviverem ao longo do tempo. As mudanças podem envolver, alterar sistemas, estruturas e processos, bem como a maneira como as pessoas pensam e se comportam. Dentro desta perspectiva de constante evolução do mercado, as organizações precisam rever sua cultura e a mudança cultural significa mudar os sistemas de relacionamento onde as pessoas vivem e trabalham. A cultura organizacional é um modelo de crenças, costumes e valores que os integrantes das organizações aprenderam a respeitar, a exercer e ensinar aos novos integrantes.

Para mudar a cultura de uma empresa é necessário planejamento e isso exige adesão, passa por as pessoas entenderem a necessidade e aceitarem a mudança e também por atrair novos colaboradores já adaptados à nova cultura desejada. Assim a mudança significa transformar a forma de pensar e agir das pessoas e, contratar pessoas já aculturadas. Isso requer um grande esforço para identificar interna e externamente pessoas capazes de aprender a se envolver de maneira produtiva, pessoas que se identificam com a nova cultura, de forma que as características desejadas pela organização coincidem com as suas orientações pessoais. Por isso tanto o recrutamento quanto o desenvolvimento de pessoas podem influenciar de forma positiva o processo de mudar a cultura e como consequência ajudar a atrair e reter os profissionais adequados, criando um círculo virtuoso onde a empresa conseguirá se destacar no mercado e possuir o elemento essencial para ser competitiva.

Nos últimos 20 anos as empresas proclamaram que ter os melhores talentos seria o diferencial as empresas vencedoras das demais, no entanto recentemente as empresas perceberam que o talento é importante, mas que o talento por si só não é suficiente. As empresas podem contratar os profissionais mais qualificados, mas se eles não forem capazes de trabalhar em coesão, não compartilharem crenças e valores e não tiverem o mesmo propósito, elas não terão sucesso. É preciso não somente avaliar habilidades e conhecimento, mas a sinergia entre a cultura do profissional e a da empresa. Essa sinergia entre o profissional e a empresa está relacionada a compartilhar valores, comportamentos e objetivos.

Uma cultura organizacional eficiente transforma o espírito de uma empresa trazendo mais produtividade, sintonia, além de gerar maior satisfação entre os clientes e consequentemente obter maior rentabilidade em seu negócio.

* Por Daniel Rezende –  sócio, diretor e responsável pelas atividades de Executive Search da Dasein.

Conteúdos

Relacionados

Dasein participa da AESC Global Conference

Dasein participa da AESC Global Conference

No próximo dia 10 de abril, Dasein participa de...
Qual o futuro da educação executiva?

Qual o futuro da educação executiva?

Educação executiva: futuro incerto requer aprendizado para vida toda...
Receba novidades

Newsletter

Para acompanhar nossas novidades, insights e outros formatos de conteúdo, cadastre-se e siga conosco. Será um prazer ter a sua companhia nessa jornada.