yFechar menu
Não encontrou?

Pesquisar...

“Trabalho duro e compromisso com resultados: sucesso gera sucesso”

Capacidade de desenvolver os melhores talentos, de aperfeiçoar negócios e de criar equipes altamente motivadas. Essas são algumas das características de Karen Greenbaum, o nome à frente da entidade que reúne as empresas de seleção de executivos mais renomadas do mundo, a AESC (Association of Executive Search and Leadernhip Consultants).

Grande exemplo de persistência e dedicação – ela começou o trabalho de executive search sozinha, em seu homeoffice – Karen vem desempenhando um importante trabalho voltado para a liderança diversificada, sobretudo para o avanço das mulheres no mundo dos negócios. Em entrevista inédita para a Dnews, ela compartilha experiências e habilidades, aponta atitudes para acelerar a igualdade de gênero e revela algumas das personalidades que admira. Neste mês, Karen Greenbaum desembarca no Brasil para conduzir importante encontro com 21 empresas associadas da AESC no país, incluindo a Dasein. Inspire-se!

CEOs de empresas como Coca Cola, Cargill, SAP, Bank of America e empresas de consultoria como McKinsey e Spencer Stuart assinaram um acordo com a organização “Paradigm for Parity” para assegurar que 50% de seus cargos de liderança sejam preenchidos por mulheres até 2030. Atualmente, elas ocupam cerca de 14% dos cargos de alto escalão. Quais ações podem ser desenvolvidas pelas empresas para acelerar a igualdade de gêneros entre seus funcionários, sobretudo nos postos executivos?

Como presidente e CEO da AESC, estou orgulhosa do nosso compromisso global com a diversidade. Nossos membros valorizam a diversidade na liderança e identificam os talentos mais qualificados por meio da busca e da avaliação sem viés. Sabemos que a diversidade melhora os resultados comerciais e motiva a inovação.

Sou associada ao “Clube dos 30%” (30% Club) e uma das sócias fundadoras do “Paradigma para a Paridade” (Paradigm for Parity). Nesse projeto identificamos um roteiro de cinco pontos para acelerar a paridade de gênero. As principais empresas de pesquisa executiva e consultoria de liderança podem firmar parcerias com clientes para causar uma real diferença através do trabalho que fazemos, tanto em achar e atrair o talento certo, como em outros serviços que incluem planejamento de sucessão e avaliação de talento interno.

Na prática, quais as atitudes que as empresas devem tomar?
  1. Engajar mulheres e homens em todos os níveis, começando com o CEO e a liderança sênior. Garantir que os líderes da companhia compreendam, assumam e lidem com os vieses conscientes e inconscientes que impedem mulheres de terem sucesso.
  2. Aumentar significativamente o número de mulheres em funções operativas sênior. Fazer da paridade de gênero completa (50/50) seu objetivo principal e de curto prazo. Buscar que um único gênero não seja responsável por mais de 70% de um nível de liderança.
  3. Medir os objetivos em todos os níveis e comunicar regularmente o progresso e os resultados. Estabelecer objetivos mensuráveis e colocar a responsabilidade em você e em seu time sênior. Comunicar os resultados de modo mais amplo dentro da organização e para o conselho. Esperar resultados significativos todos os anos, tendo como meta a paridade até 2030. Trabalhar com investidores na medida em que eles aumentam a pressão para medir e monitorar o progresso da diversidade. Compartilhar estatísticas com outros CEOs e considerar publicar os resultados com o passar do tempo.
  4. Basear o progresso na carreira em resultados comerciais e no desempenho, não na presença. Dar às mulheres e homens controle sobre onde e como irão trabalhar, sempre que possível. Reconhecer as necessidades e as expectativas dos millennials, um importante banco de talentos. Encontrar maneiras de trabalhar com mais flexibilidade para atender as necessidades de todos os empregados. Criar uma mudança cultural em que o trabalho flexível é realmente adotado e não apenas um benefício pouco usado e sobre o qual muito se fala.
  5. Identificar mulheres com potencial e dar a elas um patrocinador, assim como um mentor. A meritocracia é uma crença frequente, mas que muitas vezes é aplicada erroneamente, pois nossos vieses afetam nossa visão de desempenho e mérito. Mulheres de todas as origens necessitam de patrocinadores para sua carreira e acesso a redes de influência. Os homens, que ainda são a maioria dos líderes, têm uma função essencial na defesa e promoção das mulheres, tanto internamente como no mundo corporativo mais amplo.
Poderia citar habilidades e atitudes que foram essenciais para a sua trajetória profissional?

Flexibilidade, adaptabilidade, agilidade e disposição para tentar coisas novas.  Abertura a novas funções e oportunidades e habilidade para tomar decisões rápidas, mas adaptando e ajustando quando necessário. Mas destaco também:

Atitude positiva: é uma das importantes características que cada um de nós controla e é essencial ao longo da carreira. No início, te ajuda a ser identificada e selecionada para novas oportunidades e tarefas de alta importância. Na medida em que você se desenvolve como uma líder, te ajuda a inspirar a equipe e encorajar todos a desempenharem seu melhor.

Trabalho em equipe e colaboração: não importa o quão bom você seja, mas sozinho muito pouco pode ser obtido. Eu prospero a partir do trabalho de equipe e da colaboração, e obtenho minha energia ao trabalhar com pessoas espertas e inteligentes que possuem pontos de vista diferentes. Acredito que as melhores ideias são obtidas por meio de uma abordagem colaborativa de trabalho em grupo e em um ambiente em que cada pessoa sente que pode contribuir, questionar e melhorar o pensamento comum.

Trabalho duro e compromisso com resultados: sucesso gera sucesso. Eu pessoalmente obtenho muita satisfação com um trabalho bem feito – por mim ou por outros. Uma grande estratégia não é nada sem uma execução forte e um foco nos resultados.

A senhora é referência para profissionais do mundo todo. Mas quais personalidades a inspiram atualmente e por quê?

Minha inspiração vem dos grandes sucessos, dos heróis desconhecidos e até daqueles que me inspiram através de exemplos do que eu escolhi não fazer. No trabalho, eu aprendi tanto com meus melhores chefes quanto com meus piores. Mas aqui estão dois excelentes exemplos de líderes inspiradores do passado:

Nelson Mandela. Ele foi verdadeiramente um líder inspirador cuja marca continua depois de sua morte. Entregou-se a uma causa sem interesse próprio, sempre focado na justiça e na igualdade. Nunca desistiu, apesar de toda adversidade. Preocupando-se não somente com a África do Sul, mas com todo o mundo.

Amelia Earhart. Ela realizou coisas que nenhuma mulher havia feito antes. Uma vez disse: “Por favor, saibam que estou ciente dos riscos. Eu quero fazer isso porque eu quero fazer isso. As mulheres devem tentar fazer as coisas assim como os homens tentaram. Quando eles falham, seu fracasso deve ser um desafio para os outros”.

Compartilhe conosco uma frase ou ensinamento sempre presente em sua memória.

“Viva de uma maneira que suas crianças, quando pensarem em equidade, gentileza com o próximo e integridade, pensarão em você.”

*O texto na íntegra também está disponível em: http://bit.ly/2zfsWKy

 

 

Conteúdos

Relacionados

Inspire-se com Gustavo Caetano

Inspire-se com Gustavo Caetano

“Go big or go home” Ousadia e inovação são...
Uma história de sucesso: especial telecom

Uma história de sucesso: especial telecom

Pessoas certas para desafios exigentes: conheça o papel da...
Não encontrou?

Pesquisar...

Receba novidades

Newsletter

Para acompanhar nossas novidades, insights e outros formatos de conteúdo, cadastre-se e siga conosco. Será um prazer ter a sua companhia nessa jornada.